Sábado, 13 de Agosto de 2011

Vera Cruz - A viagem

Por volta das 12 horas de sábado, dia 17 de Abril de 1971, o Vera Cruz zarpava do cais de Alcântara, em Lisboa, com destino a Luanda, apitando estrondosamente. A bordo seguiam cerca de 2.000 militares com destino à guerra em Angola. A lotação do navio era de 1.242 passageiros, mas quando transportava tropas a lotação era largamente excedida.

 

No cais, milhares de pessoas, que tinham ido despedir-se dos seus entes queridos, acenavam com lenços brancos, choravam, gritavam, desmaiavam, criando um cenário dantesco e arrepiante, só imaginável por quem passou por uma situação daquelas.

 

Viajei instalado no camarote 212, conjuntamente com 3 camaradas furriéis que, tal como eu, tinham sido mobilizados em rendição individual, embora se destinassem a outras companhias que não a minha. Ainda me recordo do nome de dois deles (o Cerqueira e o Fortuna). Depois desta viagem, só voltei a vê-los em 30 de Maio de 1973, no regresso à Metrópole, desta vez a bordo de um avião dos TAM (Transportes Aéreos Militares).  

 

  

Os passatempos a bordo eram poucos, pelo que os dias eram muito monótonos. Tiravam-se algumas fotografias, dávamos uns mergulhos na piscina, bebíamos umas cervejas e pouco mais. Muitas horas da viagem foram passadas na proa do navio a contemplar a imensidão do mar. À nossa volta apenas se avistava água. De quando em vez, viam-se ao lado do navio alguns golfinhos e peixes-voadores. Também vi, algumas vezes, emergir um submarino a algumas centenas de metros de distância. Segundo constava na altura, todos os navios que transportavam tropa para a guerra do ultramar eram escoltados por um submarino da Armada Portuguesa

 

A passagem pela linha do equador foi assinalada com uma festa a bordo, em que participaram vários militares com dotes artísticos. Havia acordeonistas, guitarristas, fadistas, enfim artistas para quase todos os gostos.

 

Ao fim de 9 dias de viagem, já com alguma ansiedade, uma vez que íamos ao encontro do desconhecido, começamos a avistar ao longe, por volta das 10 horas da manhã do dia 26 de Abril de 1971, uma terra avermelhada. Houve excitação geral. Era Luanda que despontava no horizonte. Os nossos corações começaram a palpitar mais forte. Estávamos a aproximar-nos rapidamente do palco da guerra.

 

Por volta das 12 horas desse dia, o navio Vera Cruz aportava finalmente ao cais de Luanda.

publicado por Franquelino Santos às 17:26
link do post | comentar | favorito
|

.Franquelino Santos

.pesquisar

 

.Maio 2016

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.Visitantes

.Posts recentes

. Recordam-se da "Cuca" ?

. Casa de Reclusão de Angol...

. A ponte do rio Lumai

. Sede, a quanto obrigas

. "Safari" no Parque Nacion...

. A jibóia

. 10º Convívio da CART 2731

. O sargento Singapura

. Brincadeiras inofensivas

. Natal de 1972

.Arquivo do blog

. Maio 2016

. Janeiro 2016

. Maio 2015

. Novembro 2014

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Agosto 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

.tags

. todas as tags

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds